Home » Dicas de saúde » OCT: Aliado eficaz na luta contra doenças oculares.

OCT: Aliado eficaz na luta contra doenças oculares.

Por Dra.Camila

Essa tecnologia permite ao oftalmologista uma precisão maior e melhor compreensão do diagnóstico e tratamento das enfermidades oculares, constituindo-se numa ferramenta valiosa na rotina diária dos consultórios

A tecnologia Fourier domain da Tomografia de Coerência Óptica de Segmento Anterior (AS-OCT) permite ao especialista em córnea e cirurgia refrativa desvendar casos de forma frusta de ceratocone e fazer o screening de pacientes candidatos à cirurgia refrativa. É possível realizar a medida da espessura do flap por um aumento da refletividade interna da interface e calcular o leito residual estromal para um eventual retoque refrativo, além de auxiliar no planejamento da profundidade de ablação. Também é eficaz no diagnóstico e tratamento das complicações do LASIK como ectasia, ceratite lamelar difusa, crescimento epitelial de interface; hiperplasia com fibrose subepitelial após PRK. Com a alta definição de imagem, é possível identificar o epitélio, camada de Bowman, membrana de Descemet e endotélio corneal. O especialista em córnea irá encontrar aplicabilidade deste equipamento na medida da profundidade das opacidades corneais nos casos de distrofias de córnea ou cicatrizes corneais, para medir a espessura corneal central e periférica constituindo o mapa paquimétrico de 6 mm de diâmetro; no manejo de procedimentos como ceratoplastia lamelar ou penetrante; na profundidade do implante de anel intracorneal como o Intacs ou anel de Ferrara e lentes intraoculares fácicas; na ceratectomia fototerapêutica. Para o cirurgião de catarata ficou mais simples aferir o poder corneal no cálculo da LIO em pacientes pós-LASIK, uma vez que a OCT baseia-se na curvatura anterior e posterior da córnea para medir com mais exatidão o poder corneal. Para o especialista em glaucoma a OCT permite analisar a amplitude do ângulo da câmara anterior e na identificação de patologias do ângulo, principalmente quando há opacidade corneal obstruindo a visibilização do ângulo na gonioscopia.

O sistema Fourier domain adotado pelo RTVue (Optovue, Inc, Fremont, CA, USA) apresenta maior velocidade e resolução na captação de imagens de segmento anterior do que nas gerações prévias de OCT. Com uma velocidade de 26.000 axial scans por segundo e profundidade de resolução tecidual de 5 μm, este equipamento permite uma qualidade maior na aquisição e processamento das imagens em tempo real e técnica de sem contato com o olho. Uma das razões para a alta resolução é devida ao curto comprimento de onda de 830 nm (próximo ao infravermelho).

Primariamente o RTVue foi desenvolvido para captar imagens de segmento posterior. Para obter as imagens de segmento anterior foi necessário o desenvolvimento de um modulo adaptador para a cornea (CAM). As lentes deste modulo foram designadas para prover imagens telecentricas. A lente de alta magnificação (lente curta) promove um escaneamento de profundidade de até 4mm com uma resolução transversa de 10 μm, sendo util para a visibilização de pequenas estruturas como a acanthamoeba. A lente longa promove um escaneamento de profundidade de até 6mm com uma resolução transversa de 15 μm, ideal para a aquisição do mapa paquimétrico.

Enfim, as aplicabilidades clínicas e cirúrgicas da OCT de segmento anterior permitem ao oftalmologista uma maior e melhor compreensão do diagnóstico e tratamento das enfermidades oculares, tornando-se ferramenta útil e precisa na rotina diária do consultório.